104. A Equipe Escolhida

104. A Equipe Escolhida
Xpeditus sai Onara, guerreiro da Hokhe em Aquitan

Antes: 103. O Ringue dos Verofortes

Depois da expedição para Galen, onde quase ficou paralítico, Suva Kaun Dikristus tinha passado um tempo no estaleiro, se recuperando. Quando soube do Veroforte, passou a treinar como um louco, em altas altitudes, nas Terras Altas, decidido a ganhar aquele cinturão. Seu nome já tinha sido ventilado na Clave, sem oposição, mas a discussão sobre quem seriam seus companheiros estava a todo vapor.

Elena de Aquitan pede a palavra, e também faz sua indicação:

– Aquitan indica o gigante Xpeditus sai Onara, o mais forte do reino, que uma vez nocauteou um camelo com um soco!

– Acredito que podemos indicar três desses nomes com tranquilidade, como lutadores. – Diz o General Jules Flanagan:

– Pet Xueiz, de Terras Altas, Xpeditus sai Onara, de Aquitan, e Suva Kaun Dikristus, de Joy Divile, por Van Hal.

Xpeditus sai Onara era um gigante mestiço de 43 anos, 2,35m de altura e 165 kg de puro músculo, de aspecto troncudo, bastante feio. Ele e Suva Kaun se davam muito bem, e costumavam competir no braço de ferro nas competições entre os reinos.

Krul Petersen pede a palavra, e rebate as provocações de McFerris:

– McFerris, antes de falar dos jovens, lembre-se que os colocamos à prova, e alguns como Katrha espinafraram outros indicados e seguiram na bem sucedida missão de matar Calto!

Teve moleque colocando gente tarimbada no banco da missão! Então o ímpeto e a vontade nessas missões suicidas, conta tanto quanto a experiência!

– É verdade, Krul… – Responde Martin – Mas tinha moleque ali sem condição, como aquele mago medroso.

– Sim, mas haviam outros de muito brio e vontade de fazer acontecer! Como temos hoje também! – Continua Krul

– Até agora, eu concordo com Jules: Suva Kaun, Pet Xueiz e Xpeditus são bons nomes… O resto eu nunca ouvi falar. – Decreta o representante das Terras Altas.

Toni Ferro pede a palavra:

– Tá maluco, vovô… Mago Merlin e o campeão botam os teus meninos no bolso…

– Deu certo da última vez, que repitamos hoje! Quem quiser seguir nas missões que se apresente e se coloque à prova para ser merecedor de tal honraria! – Defende Krul, continuando: – Inclusive voto pela participação de Ferro na missão, por toda sua capacidade!

Mcferris olha para Krul, e responde:

– Acho que o General está desatualizado. O senhor Toni Ferro passou os últimos dois meses nas Terras Altas comendo e bebendo à vontade, e bebendo muito… Suas capacidades parecem bem reduzidas no momento.

Ferro complementa, suspirando enquanto estica uma das pernas:

– Já disse pros colegas que estourei o joelho na última missão…

Krul insiste:

– Existem missões que exigem mais do que físico. Exigem sagacidade! Coisa que nenhum desses gigantes que vão para o torneio chega nem na sombra do senhor Toni! E então, Ferro? Se habilita para seguir na missão? Vai mais uma vez colher os louros da vitória?

– Nem tanto, Chefia. Nem tanto… – Responde Ferro: – Vou na próxima com certeza, chefe…

Só preciso de uns meses pra entrar em forma e recuperar esse joelho…

– E então, Jules? – Persiste Krul: – O que acha da participação de Ferro? No rastreio da família do senador?

– Já dei a letra, a parada é mandar o Mago Merlin e o campeão. – Esquiva-se Ferro: – Os caras são pica.

O jovem General Jules Flanagan começa a rir. Aldus Princevere, de Darklands, indica a amazona Mortagwan, uma vilanda gigantesca e deliciosa, para representar a Terra das Sombras. Derek Demonni, da Dokhe em Van Hal, diz que conhece Melvis Merlin da Bruma, e também referenda sua indicação. O Gargo Gigantrix também apoia a indicação de Ipa Bier, feita por Diana Divile, como escudeiro de algum dos guerreiros.

– Não tô acreditando que vocês não vão chamar o nego Arley e o campeão pra essa missão… – Insiste Ferro: – Querem comprovar o que eu tô dizendo? Chama os caras aqui e coloca eles ali naquela cadeirinha…

Jules gosta da ideia, e pergunta a Krul:

– Vamos convocar os caras? Se eles tiverem coragem de enfrentar essa mesa, eu confio que poderão ir para a missão.

Com a concordância dos generais, os emissários da Clave acordam Arley Vanila e Haia Kahn no meio da madrugada, para informar que tinham sido convocados pelos oficiais mais importantes dos quatro reinos. Enquanto isso, os Gargos Gigantrixes continuavam discutindo as opções para preencher as últimas vagas da missão.

O Gargo Gigantrix de Darklands, Aldus Princevere, também indica o cavaleiro da Bruma Xerikan, conhecido como “O Estranho”, especialista em inflitrações, para compor o grupo, acompanhando a amazona vilanda Mortagwan.

– Eu não conheço esse Xerecão aí da Bruma, mas tenho certeza que o campeão come ele com farinha… Se é pra mandar alguém da esquadrilha da fumaça, mandem o Haia! – Diz Ferro, continuando: – Já a nobre colega Mortagwan tem todo o meu apoio. Essa eu conheço bem. Hmmm… Se o grupo que vai à missão pudesse escolher, tenho certeza que colocavam ela no camarote. Essa rasga muito… os inimigos numa batalha.

– E então, companheiros? Temos quatro indicações para três vagas… – Diz Jules.

– Então eu voto por um novo desafio! Que os melhores provem seus valores! – Afirma Krul

– Eu concordo, general… – Diz Jules: – Mas antes vamos dar a chance para que eles falem aqui, como combinamos. Já estão sendo trazidos para cá.

A primeira a entrar na Opera Doma é Mortagwan, atraindo imediatamente a antipatia de todas as mulheres da Clave.

– É uma honra ser indicada para a missão pelo Gigantrix Aldus Princevere. Estou pronta para provar meus talentos para quem quiser, a qualquer hora, em qualquer lugar, é só marcar…

Os Gigantrixes se animam. Ferro toma a palavra:

– Por mim, Xerecão fica. Fechou Arley, Haia e a colega, parceria?

Aldus não gosta do encaminhamento:

– Xerican é o melhor inflitrador da Bruma… Então vai ele no lugar desse Haia quem.

Ferro puxa a aprovação de Mortagwan por aclamação, mas as mulheres votam contra. Mesmo assim, ela acaba sendo confirmada pela maioria como a lutadora representante de Darklands. Suva Kaun seria o representante de Van Hal, Xpeditus por Aquitan, e Pet Xueiz, por Terras Altas. Considerando que Ipa Bier e Melvis Merlin também já tinham sido indicados como acompanhantes, restavam ainda duas vagas para Arley, Xerican e Haia.

Ferro argumenta por Arley e Haia:

– Estes dois homens foram importantes para a missão em Galen! E o Xerecão? Onde estava?

Aldus rebate:

– Importantes? Ouvi dizer na cavalaria que eles abandonaram a missão antes do fim…

Jules interrompe o bate-boca para questionar Haia e Arley:

– Vocês foram importantes para a missão, cavaleiros?

Do seu lugar na Clave, Ferro fica fazendo mímica para Haia e Arley falarem que sim.

Haia responde:

– Depois de garantir a entrada do grupo no Castelo de Galen, para cumprir o objetivo da missão, tivemos que trazer nosso campeão Suva Kaun de volta para receber cuidados médicos.

Eu e Arley nos prontificamos para mais essa missão. Isso é abandonar uma missão?

Arley complementa:

– A missão foi cumprida? Então fui importante.

– Chefia, nosso líder Ferro, em dado momento, achou melhor dividir o grupo. Ele me incumbiu de conseguir uma forma de infiltrar a equipe no torreão do Castelo. Para que isso ocorresse precisei atrair um grupo para longe e abrir caminho para o progresso deles.

Em dupla com o Arlei nos livramos desses homens. Como havia um ferido grave na equipe voltamos para tentar salvar sua vida enquanto a equipe fazia a sua parte no plano.

Com isso a missão foi cumprida e nosso melhor representante no Ringue dos Verofortes está salvo. Após trinta anos o Vale dos Reis voltou a ser nosso. Eu não abro mão da minha vaga nessa equipe, em dupla com o Arley, para encontrar a família do senador. – Discursa Haia.

– É o bastante. – Diz Jules, dispensando Arley e Haia: – Mandem entrar Xerican.

O infiltrador da Bruma toma seu lugar na Opera Doma:

– É… Se for possível, e tiver uma vaguinha, eu gostaria muito de ir. Acho que vai ser legal pra ganhar experiência.

Os oficiais se entreolham, insatisfeitos. Aldus, que indicou Xerikan, fica puto com a resposta e olha feio para o subordinado.

– Já há outros dois cavaleiros da Bruma no grupo. Tem mais algo a dizer a seu favor? – Diz Jules.

– Calma. – Responde Xerican.

– Tu pede calma a um general? – Estranha Jules.

– Não. Pedi calma a mim mesmo. – Diz Xerican, abaixando os olhos.

– Então responda, cavaleiro. Não temos tempo a perder. – Repreende Jules.

– Vai pra casa, Xerecão! – Grita Ferro. Aldus se indigna e retira a indicação de Xerikan.

Todos os oficiais concordam, e Xerican sai dali cabisbaixo. Haia e Arley estavam confirmados.

Continua: 105. Saída para Dankel

Marcial Renato

Marcial Renato

Marido da Karin, a mulher mais bonita que já conheci na vida, pai da Ravena (super poderosa), do Henzo (a pronúncia é "Renzo", como o lutador) e da Laura (de olhos verdes). Filho da Alzira, a mulher mais forte do mundo, e do Paulo Roberto, o cara mais maneiro de todos os tempos. Já trabalhei como produtor de TV, Cinema e Internet, fui professor de Comunicação Social e hoje sou servidor de carreira da Agência Nacional do Cinema (ANCINE). Tenho um mestrado em Literatura e graduação em Publicidade e Propaganda, ambos na UFRJ. Em 2012, escrevi, produzi e dirigi o longa-metragem "Dia de Preto", com Daniel Mattos e Marcos Felipe Delfino, premiado em diversos festivais no Brasil e no mundo. Também sou autor dos livros "Rituais de Casamento", de 2015, junto com a Karin, e "Asgaehart: as invasões bárbaras", lançado em 2018. Duas vezes por ano jogo na lateral direita do time dos nascidos na década de 70 do Vale do Rio Grande (7X). Também gosto de pegar onda no verão, e nas horas vagas escrevo aqui no site da Maxie.

Um comentário em “104. A Equipe Escolhida

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: