Os Mandamentos do Coach Sincero

Os Mandamentos do Coach Sincero
"The corpse who climbed Mt. Everest" Cover painting by Phillip Ronfor for Fury Magazine - November 1960.

Advertência: pau no cu de quem colocar este texto na prateleira de auto-ajuda. Auto-ajuda é a versão masturbatória do elogio de vó.

Os bosta-mole do mundo só pensam em duas coisas: riqueza e felicidade. Se for um bosta-mole sem salvação, vai achar que as duas podem andar juntinhas no trabalho. 

Pra começo de conversa, ninguém é obrigado a ser infeliz. Quer ser feliz? Seja. Lá na puta que o pariu. Ninguém te obrigou a vir aqui ler esta merda.

Profissão não é pra ser feliz. É pra pagar conta. Gosta de arte? Vai ao museu.

Felicidade é objetivo da princesinha da Disney. Gente de carne e osso tem como objetivo alguma independência financeira pra poder mandar alguém ou de preferência todo mundo tomar no olho do cu.

“Realizações” são hobby de milionário. O máximo que pobre realiza é uma vingança.

Pra deixar claro: pobre e classe média é tudo a mesma merda. Tudo escravo do trabalho. Se dinheiro é importante pra você, você é pobre. Se você precisa dizer que dinheiro não importa pra você, você é pobre.

A questão não é dinheiro. É poder. Tem gente que pode e tem gente que não pode. Você não pode. É tudo que você precisa saber.

A existência das pessoas que podem, só serve pra criar ilusão na cabeça de um monte de otários que acham que um dia vão poder também.

“Mas tem gente que consegue”. Sim, claro. Tem gente que ganha na Mega-Sena também. Mas não é você.

Quanto antes você aceitar, melhor. Muito pior é perder o FGTS no day-trade ou imigrar pro primeiro mundo e ter um rim traficado por russos, acordando numa banheira de gelo.

Não tenha ilusões e você estará melhor que 99% dos outros buchas como você.

Então faça tudo que quiser sabendo que é puro desperdício ou então não faça porra nenhuma. Ninguém se importa. Não se importe também.

Todo mundo tem que ter um arquétipo. O seu é o Anti-Midas. Você transforma ouro em meio barro meio tijolo.

“Então eu devo ser um pessimista?”. Não. Pessimista interpreta, você anota. Sua vida toda tem sido um interminável 7 a 1. Não existe razão pra isso mudar de repente, a não ser que você seja uma princesinha da Disney. Você é um realista.

A vida não é questão de sorte, mas destino. Você está destinado à mediocridade ou à catástrofe. Entre girar uma roleta pra realizar um sonho e girar uma roleta pra explodir o mundo, escolha a roleta do fim do mundo porque nessa você terá alguma chance de acertar.

Você sabe que isso é verdade porque nunca ganhou nem rifa de igreja, mas já fez grandes cagadas. Você só ganharia sorteio se fosse pra levar tapa na cara.

Por fim, antes que me esqueça: não pense  que você tem que ser bem resolvido. Bem resolvido de cu é rola. Bem resolvido é quem resolveu alguma coisa na vida. Quem só perdeu de goleada é mal resolvido por definição. Perdedor bem resolvido tem nome: arrombado.

Não seja um arrombado.

Daniel Mattos

Daniel Mattos

Nasceu em Petrópolis, em julho de 1975 e recebeu o nome de Daniel Vidal Mattos. Desde então está em busca de respostas sobre o que é ser Daniel Vidal Mattos, nascido em Petrópolis em julho de 1975. Não se parece com a foto aqui publicada.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: