Where The Desert Meets the Sea

Where The Desert Meets the Sea

Estreando a seção Maxie Indica, começo com um livro para quem, assim como eu, conhece pouco sobre o processo de criação do Estado de Israel. Trata-se de Where The Desert Meets the Sea, que pode ser encontrado clicando aqui. Não encontrei edição em Português. Até há um um livro chamado Onde O Deserto Encontra o Mar, mas não se trata do mesmo.

O livro é escrito pelo jornalista alemão Werner Sonne e, através de sua vasta experiência cobrindo eventos no Oriente Médio, ele constrói uma narrativa romantizada rica em detalhes que nos ajudam a melhor entender o contexto histórico da época.

Um dos fatos que merecem destaque está a grande oposição exercida pelos ingleses, que após o fim da 1ª Guerra Mundial exerciam o controle geopolítico e administrativo da Palestina, ao retorno em massa de refugiados judeus à região com o término da 2ª Guerra, chegando a os aprisionar em campos de concentração (!) no Chipre. Verdade, nestes campos, os judeus não eram tratados da mesma forma insana como nos campos nazistas, mas, ainda assim, os judeus estavam aprisionados entre muros com arames farpados.

Através do olhar de personagens judeus e árabes, em uma história de amor e amizade que busca não tomar partido para um lado ou outro, vivenciamos a crescente escalada da violência na região. Vemos o Haganá funcionando ainda como uma organização paramilitar clandestina, antes de se tornar o núcleo das Forças de Defesa de Israel, assim como os primórdios da criação do Exército de Liberação Árabe em um campo ao sul de Damascos, com voluntários sírios, turcos, palestinos, iraquianos, libaneses e mesmo homens vindos dos Balcãs e até da Alemanha.

Um livro para nos ajudar a quebrar os paradigmas maniqueístas de bom e mau e nos lembrar da busca muitas vezes difícil por compaixão e coexistência.

Marcos Felipe Delfino

Marcos Felipe Delfino

Nascido em 1975, Marcos Felipe, também conhecido como Marquinho, ou Marquito, ou Kinets, já tentou ser músico, fotógrafo e cineasta entre outras frustrações. Hoje é servidor público.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: